Terrorismo inaceitável

 

A polícia francesa caçou e matou os três terroristas que assassinaram covardemente 12 jornalistas na redação do jornal Charlie Hebdo.

Parabéns pela rápida ação, todo o mundo civilizado aplaude. Inclusive nós, brasileiros. Afinal, ninguém pode aceitar e concordar com ações de terrorismo, onde quer que elas aconteçam.

Muita gente saiu às ruas e muitos outros milhões devem continuar protestando e se solidarizando contra esta barbárie.  Nossa solidariedade no entanto, é questionável, bastante hipócrita. Saímos para copiar os outros, sair bem na fita, fazer um selfie, quem sabe aparecer na televisão. Não temos a cultura da Mobilização. Ao invés de sairmos meia dúzia às ruas para condenarmos 12 mortes inaceitáveis, por que não protestamos por muitas outras mortes, centenas que ocorrem diariamente em nossas cidades por causa da bandidagem?

Isto sim é terrorismo! E dos piores. Mas, ninguém leva a sério, aqui é problema social.

Aqui não morrem só 12 em atentados. Morrem muito mais, centenas a toda hora, todos os dias em assaltos, roubos, invasões de residências, sem que as autoridades tomem as devidas providências. Só promessas que nunca são concretizadas. O cidadão honesto desarmado por lei e os bandidos armados até os dentes tomam conta das ruas e dos presídios.

Lá na França, como em outros países mais desenvolvidos, o sujeito assalta, rouba, mata, vai preso imediatamente, não importa o motivo. Se por terrorismo, pior ainda. E fica na cadeia, é julgado, prisão perpétua e até pena de morte.

Entre nós, terra do faz de conta, menores delinquentes não podem ser presos, bandidos fazem festa nos presídios, muita regalia, televisão, celulares, bebidas e mulheres, televisão mostra autoridades desconhecem.

 Por que não nos mobilizamos de verdade?

* Guilherme Cardoso é autor do livro O poder mágico da Mobilização.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*